Nos últimos dias temos assistido ao anúncio de resultados resultantes de um conjunto de sondagens efetuadas em Sintra. É certo que os números dos 3 inquéritos realizados são semelhantes mas mais certo ainda é a sensação de que algo não está correto nas amostragens e que é, no mínimo, estranho que, mantendo-se as votações aproximadamente semelhantes às eleições de 4 anos atrás, exista um partido que sobe, nada mais, nada menos, 14 a 16% nas intenções de voto.

Todos sabemos que, como diz a famosa frase do futebolista, prognósticos só mesmo no fim e as sondagens não passam disso mesmo, previsões que, como em qualquer outra situação, podem falhar. E eu não acredito nos números que nos apresentaram. Por várias razões, que passarei a explicar, confio que a candidatura Juntos Pelos Sintrenses vão ganhar estas eleições contrariando as expectativas.

A primeira razão para não acreditar nos resultados dos inquéritos que foram apresentados prende-se com aquilo que se passou nas últimas autárquicas. Todos sabemos que a melhor sondagem é o contacto com a população na rua e aí a verdade é outra. São muitas as reclamações e o sentimento de que foi um mandato onde nada se fez e muito piorou, e são imensas as reclamações dos munícipes com quem nos cruzamos. Se este é o sentimento de tanta gente como é possível que quem está no poder suba cerca de 15 pontos nas intenções de voto?

Uma outra razão prende-se com a fragilidade técnica das amostras. Em uma das sondagens foi dito que aplicaram os questionários em apenas 5 das 11 freguesias o que resulta numa extrapolação errónea dependendo de quais as que foram “escolhidas” para a amostragem. Entretanto, em todas as sondagens, há um número significativo de pessoas que não respondem ou que mostram indecisão o que reduz ainda mais o universo sondado não chegando a um milhar de inquiridos. Ora, num município com 400 mil pessoas, não serão estas amostras demasiado reduzidas para obter um resultado minimamente fiável?

Finalmente, uma última nota para a promiscuidade existente entre um dos partidos e as entidades que fizeram as sondagens. Não é possível confiar numa sondagem de um jornal onde o partido comprou um suplemento muito recentemente e a empresa que realizou a sondagem há muito é conotada com esse mesmo partido, bem como noutra sondagem onde o diretor do Centro de Sondagens é amigo do vice-presidente da Câmara Municipal de Sintra, do mesmo partido. Como se usa dizer, parece que as sondagens foram encomendadas…

Perante isto resta-nos esperar pela verdadeira auscultação popular e essa faz-se no dia 1 de Outubro, nas urnas. E aí sei que a coligação Juntos Pelos Sintrenses vai demonstrar que a vitória era, é e sempre foi possível triunfando nas eleições autárquicas e fazendo de Marco Almeida o novo presidente da Câmara Municipal de Sintra.

 

Carlos Miguel Saldanha

Juntos Pelos Sintrenses

 

Anúncios