Com esta edição, a 42ª, o Transferidor de Sintra encerra um ciclo em que o mote foi a “transferência plural de ideias”. Nem todos assim o perceberam, a clubite e o sectarismo não são só apanágio dos futebóis. Muita gente pensa que a Política se rege pelos mesmos valores de irracionalidade e vê conspiração em tudo o que não controla ou insurreição no direito a pensar e a ter ideias diferentes das suas.
É um dos problemas de fundo da sociedade portuguesa de a política ser confundida com futebol, e de o meu ser melhor e maior do que eu teu. É um problema cultural que só o tempo e a persistência e uma política que traga a Cultura(não confundir com recreação ou criação artística) para o Centro do debate, pode ultrapassar.
O meu obrigado a todos os colaboradores, ocasionais e permanentes, aos defensores de candidaturas que colaboraram nos últimos quatro números e aos leitores que ultrapassaram todas as minhas espectativas (ver foto cabeçalho).

 

João de Mello Alvim

Anúncios