Essa Sintra de grande potencial turístico de que fala o “press release ” está a léguas de entender sequer o conceito. Essa Sintra à procura de projectos imobiliários disfarçados de investimentos em turismo melhor faria se resolvesse antes mais “probleminhas” mais comezinhos com a fossa a transbordar de esgoto na Quinta da Regaleira e que agora escorre, rua abaixo, entre as pernas dos pacientes Turistas , em fila por mais de uma hora , no meio da estrada, e que aguardam a compra de um bilhete de entrada.
E falando do local, de gestão municipal indirecta, note-se que ali não há pagamento multibanco ou com cartões de credito, instrumentos que, em turismo não fazem falta nenhuma.

Ainda falando do local , note-se também a genial alteração da porta de entrada do monumento, retirando-a do ponto mais largo da rua para o ponto mais estreito da rua. Tal resulta num monumental engarrafamento de peões, misturados com automóveis e autocarros . Tudo a bem do desenvolvimento turístico de Sintra.

Talvez essa Sintra cheia de energia possa também resolver outra fossa a transbordar no Castelo dos Mouros. Todos se lembram do cheiro que, no ano passado, se sentia no local . Certo é que só se sentia se lá fossemos .

Talvez essa Sintra turisticamente enérgica pudesse, antes de tantos milhões , gastar um milhar ou dois, num sanitário público algures na volta do Duche, evitando o desespero de quem viaja mais de uma hora desde Lisboa, e que outro remédio não tem senão entrar em todas as portas, com ar de eminente expulsão , implorando uma casa de banho.

Já que continuamos a falar de xixi, note-se também a ausência de WC que sirva a praça de táxis da estação de Sintra. Árvores e ruas esconsas cumprem a função .
Essa Sintra estudiosa da estatística, e habituada aos milhões , aumenta o número de visitantes com mágica facilidade, passando de três , esperados para este ano , para cinco constatados no ano passado. E a crescer, mesmo sendo notório o decrescimento deste ano .

Essa Sintra das estatísticas que nunca fez, que se conheça , qualquer estudo sério do fenómeno, mas que tem o Sintra WiFi como painel científico .

O artigo é de facto cheio de energia, mas Sintra está em low power . Para quem gosta dela e lhe reconhece o potencial este não é o caminho.

 

Paulo Castro (título do editor) » página do FB Eleições Autárquicas Sintra 2017
https://www.facebook.com/groups/546978298817969/

 

Anúncios