A propósito de “entertainers”

 

Para que entertainers de serviço não abusem de manobras de diversão e pretendam desprestigiar quem critica as práticas, diremos que o actual Centro de Saúde de Sintra há muito tempo deveria ter sido extinto e substituído de forma adequada e profícua.

Têm-se arrastado as más condições de assistência na doença, colidindo com os direitos dos cidadãos a acederem a serviços médicos sem constrangimentos.

A notícia – em época eleitoral e que não pode ser desligada – do “Novo” Centro de Saúde de Sintra recomendaria certas cautelas face ao quadro em que se insere.

Ignorando o quadro, entertainers vocacionados mais ao servilismo do que a estudar a vida dos Utentes, louvam, sugerem, até citam medições para percursos e distâncias.

Quantos arautos e entertainers serão Utentes do “Novo” Centro anunciado? Nenhum.

Daí não saberem bem que a União de Freguesias de Sintra se espalha por 62,27 Km2 (mais 17 km2 que o concelho de Oeiras!!!) com aldeias onde vivem pessoas.

Aprendam que só a saudosa Freguesia de S. Pedro de Penaferrim tem uma Área de 26,46 Km2, ou seja, por exemplo, mais 10 Km2 que a Freguesia de Rio de Mouro.

Nesses 26,46 quilómetros quadrados não há Centro de Saúde nem apoios.

Quando um Autarca alude, de forma despropositada, a 500 metros de distância, deve perguntar-se se ele mesmo faz essas distâncias a pé ou em viatura autárquica.

E, já agora, porque não sugere que dos Paços do Concelho ao Valenças (menos de 500 metros) os Autarcas vão a pé em vez de mais de dois quilómetros em viatura oficial?

Que despudor um autarca (letra pequena) quase advogar que doentes façam a pé o percurso da Portela ou da Estação de Sintra ao novo local, paguem estacionamentos, usem transportes que não há ou recorram a táxis para terem assistência médica.

Impensável, que alguém no Poder Local assim pense. Não merece votos de ninguém.

 

Descoberta de um “Novo” Centro de Saúde

 

No site camarário, o “Novo Centro de Saúde de Sintra” “abrangerá cerca de 21.000 utentes do município”. Pelo painel afixado (Nota do editor: ver foto), 1.000 já saíram para parte incerta…

Não seria suposto existir num Centro de Saúde?  Esqueceram-se de referir médicos e outros profissionais de saúde em numero adequado à cobertura de 20.000 utentes…

Desvalorizando os 1.000 já eliminados, talvez seja saudável apreciar alguns números para que não se julgue que basta baralhar os dados e todos ficarmos boquiabertos.

É óbvio que, para quem resida perto, o anunciado Novo Centro será mais acessível, o que é positivo. No entanto, para a maioria dos Utentes, constitui um agravamento.

A acessibilidade ao novo local está bem patente (ver foto: http://retalhos-de-sintra.blogspot.pt/2017/05/sintra-novo-centro-de-saude-quem-vai.html )

 

Como se repartem esses 20.000 Utentes?

 

A maior parte vive na periferia. Uns milhares ficarão na Extensão da Várzea. Os que se transfiram para o “Novo” Centro, juntos aos já existentes, estarão longe de 20.000.

Segundo o censos de 2011, na União de Freguesias de Sintra moravam 29.541 habitantes. A maior parte (14.001) na saudosa Freguesia de S. Pedro de Penaferrim.

Pode deduzir-se, com certo grau de certeza, que a maior parte dos Utentes vive no tal território de 26 quilómetros quadrados, com a Abrunheira a 7 kms, o Linhó a 6, Manique a 10, Beloura a 8, Ranholas a 4, mais S. Pedro e Chão de Meninos.

Ou seja, os Utentes entregues à sua sorte, vivem no Sul do território e o “Novo” Centro é a Norte, para lá da linha divisória que é o comboio.

Utentes que são vítimas de más ligações e preços dos transportes públicos (parece que o Presidente da Câmara os achará bons), com deslocações que rondarão os 10 € por pessoa. Depois mais umas centenas de metros a pé…

Só faltará, entre os disparates a que por vezes acedemos, que nos recomendem a ida de bicicleta pelos notórios efeitos benéficos no colesterol…

Isto foi ponderado? Há estacionamento próximo? Ou táxis às voltas e voltinhas, “passa para o outro lado da Portela”. É isto que os decisores pensam?

Há políticos que, pelo que dizem, é que deveriam ir dar a volta para bem longe…

Falem com os munícipes, conheçam primeiro as realidades antes de se colocarem em bicos de pés, sintam os problemas dos Utentes dos Serviços Médicos em Sintra.

 

A longa espera

 

Ainda alguns dos agora educadores não sabiam o que é o Poder Local e já nos preocupávamos na defesa dos cuidados de saúde para a população da freguesia.

O documento supra (de 9.11.2000. Ver documento: http://retalhos-de-sintra.blogspot.pt/2017/05/sintra-novo-centro-de-saude-quem-vai.html )  envolvia a Direcção do Centro de Saúde de Sintra e o, na época, o socialista Presidente da Junta de Freguesia de S. Pedro de Penaferrim.

A carta foi logo entregue à Sra. Presidente da Câmara, ficando o destinatário e outro residente na aldeia (Sr. António Bento) totalmente disponíveis para ajudar à solução.

Há 17 anos, talvez andássemos muito à frente no conhecimento da vida no nosso concelho ou nos déssemos ao trabalho de procurar uma solução justa na questão da Saúde.

Nem andávamos em busca da recompensa política, nem criávamos ilusões. .

O Poder Local Democrático continua a exigir que não se iludam as populações.

Este não é o caminho. Talvez bom para alguns…mas essa será outra história.

 

 

Fernando Castelo  ##  blog Retalhos de Sintra

http://retalhos-de-sintra.blogspot.pt/

 

Anúncios