Como é do conhecimento geral, o Concelho de Sintra encontra-se carenciado de estruturas comerciais, em particular na modalidade super e hiper (disporá apenas de uns modestos 370 mil metros quadrados de áreas comerciais, segundo a Direcção Geral das Actividades Económicas), a que acresce, ainda, um arreliador défice de construção.

Ciente desta grave lacuna, a vereação municipal, depois de profundas cogitações, apresentou ao público o seu contributo para inverter tal lacuna: o Plano de Pormenor da Abrunheira Norte.

Na Reunião de Câmara de 21 Outubro de 2014, e nas palavras graves do Excelentíssimo Presidente da Câmara, Dr. Basílio Horta, o dito Plano contempla, nada mais, nada menos, do que uma cidade. E de que cidade se trata? Da “cidade Sonae”, explicitou Sua Excelência.

Porquê Cidade Sonae?

Na mesma reunião referiu a Exmª Senhora Directora Municipal do Urbanismo que “o proprietário do terreno é a SONAE (…) o processo começou há 14 ou 15 anos com o terreno a ser adquirido pelo Carrefour. Como a SONAE acabou por o comprar à Carrefour, desde essa altura que está a tendência duma unidade comercial naquele terreno. Aliás começou com uma pretensão de 50 mil metros quadrados só para o comércio e passou para 20 mil metros quadrados”. (In Acta 24/14, da Reunião da CM Sintra, pp 25-28).

A “tendência” para a unidade comercial naquela zona, designada por Área Urbanística de Génese Ilegal (AUGI) já vem, portanto, de longe. Os cidadãos de génese ilegal que por ali têm habitado, com o referido Plano, vão finalmente adquirir o estatuto de “cidadãos Sonae”, uma vez que nunca houve meios do município para lhes resolver a situação!!Não há almoços grátis”, explicou ainda com oportunidade o Exmº Sr. Vice-Presidente. Pois não! Aliás, o menu que tem vindo a público, parece contemplar suculentos pratos de construção.

Por último, fala-se, também de um parque temático designado por “Sintra dos Pequeninos”, com miniaturas dos principais monumentos da Vila classificada pela UNESCO como património mundial. Excelente.

Como estamos longe dos originais, nada melhor do que habituar os petizes à “visão Sonae” daquele património.

Por fim, uma sugestão. Á entrada da futura “Cidade Sonae” deve constar, numa placa evocativa, o resultado da votação que a pretende dar à luz:

 

A favor – 6:

Presidente Basílio Horta (PS)

Vice-Presidente Rui Pereira (PS)

Vereadora Piedade Mendes (PS)

Vereador Eduardo Quinta Nova (PS)

Vereador Luís Patrício (Coligação Sintra Pode Mais – PPD/PSD-CDS/PP)

Vereadora Paula Neves (Coligação Sintra Pode Mais – PPD/PSD-CDS/PP)

 

Contra: 0

 

Abstenções – 4

Vereador Marco Almeida (Sintrenses com Marco Almeida)

Vereadora Paula Simões (Sintrenses com Marco Almeida)

Vereadores José Pedro Matias (Sintrenses com Marco Almeida)

Vereador Pedro Ventura (CDU)

 

 

Valdemar Reis

 

Anúncios